Archive for novembro \23\UTC 2016

TRAIDORES ESTÃO VENDENDO O BRASIL

23/11/2016

Traidores do nosso país nunca faltaram. Onde quer que ocorresse uma luta do nosso povo, lá estava a traição. Nas lutas de resistência dos indígenas contra o português invasor; na luta do Quilombo dos Palmares; na República Guaranítica; na Inconfidência Mineira; na Revolta dos Alfaiates; na Revolução Pernambucana de 1817; no 2 de Julho; na Confederação do Equador; na Sabinada; na Praieira; na Balaiada; na Cabanada; na luta de Canudos; no Contestado; na Coluna Prestes; na luta antifascista e antiimperialsita de 1935; na campanha patriótica “O Petróleo é Nosso”; na luta do Caldeirão; em praticamente todas as lutas da classe trabalhadora, e tantas outras, ao longo da história do Brasil.

Se fosse possível colocar em fileira todos os traidores do povo brasileiro, sem dúvida, teríamos uma fila da traição de quilômetros ou léguas. Uma quantidade enorme de indivíduos, a serviço de impérios e da classe dominante local, dando o máximo de si para que o Brasil e seu povo não se tornassem livres, ficando sempre como uma colônia. Antes, de Portugal, depois, como neocolônia da Inglaterra e, mais à frente, dos Estados Unidos.

Uma das traições mais traumatizantes de nossa história, para servir a interesses externos, foi a dos golpistas de 64. Comprovadamente, o golpe só se concretizou porque foi organizado por agentes do governo norte-americano, em ações conjuntas com os inimigos internos, os traidores do país. Mas, outros atos de lesa-pátria viriam a acontecer após o triste período ditatorial.

O traidor mais conhecido de todos nós é Joaquim Silvério dos Reis, o traidor de Tiradentes. Tornou-se tão famoso, que passou a ser considerado o pai dos traidores brasileiros. Vendeu-se ao império português. Os mais recentes herdeiros deste traidor-símbolo são o general Juarez Távora, que defendia a entrega do petróleo brasileiro à Standard Oil, dos Estados Unidos, e à Shell, anglo-holandesa, tendo contra si patriotas das próprias Forças Armadas e de vários outros setores da sociedade; Carlos Lacerda, que chegou a defender ação direta dos Estados Unidos contra o governo brasileiro, sendo articulador direto de conspiração que acabou levando Getúlio à morte; o general Golbery do Couto e Silva, considerado o mais destacado dos arquitetos do golpe civil-militar, implantado em 64; Fernando Henrique Cardoso, que primou por colocar o Brasil à venda, entregando patrimônio, como a Vale do Rio Doce e outros patrimônios públicos, a grupos econômicos, principalmente internacionais, tão serviçal dos interesses do imperialismo norte-americano, que só faltou exigir que se impusesse a língua inglesa ao povo brasileiro, um neocolonialista de grande convicção, tendo tentado entregar a Petrobrás a petroleiras internacionais; e, finalmente, José Serra, acusado de ter-se comprometido com a petroleira estadunidense Chevron em mudar a lei de petróleo no Brasil para entregar o Pré-Sal a ela e outras multinacionais da área, já tendo conseguido aprovar um projeto que tira a condição da Petrobrás de operadora única na produção petrolífera, como também a garantia de ter o direito a no mínimo 30% nos consórcios de produção no Pré-sal. Seu objetivo é a privatização, não só do Pré-Sal, mas também da própria Petrobrás e de outros patrimônios públicos. É o principal líder dos neocolonialistas internos. Como Ministro das Relações Exteriores, tem a condição privilegiada de sair ofertando o Brasil aos mercados imperialistas, mormente ao dos Estados Unidos. É o traidor que lidera outros traidores, como Michel temer – o lesa-pátria fantoche, escriba-mor da atual traição – que colocam o Brasil à venda. Deram o golpe de 17 de abril passado para isso.

Cláudio de Lima

TRUMP : VITÓRIA DO FASCISMO NOS ESTADOS UNIDOS

12/11/2016

Ideias fascistas, práticas fascistas internas e externas nunca faltaram aos Estados Unidos. Aquilo que os ideólogos do capitalismo chamam de “a maior democracia do mundo”.

Com a vitória de Trump, o fascismo se escancara naquele país. É a vitória do ódio e do preconceito contra os imigrantes, contra os negros, contra latino-americanos, contra os muçulmanos, contra a luta das mulheres, contra os movimentos sociais em luta por direitos…

Vitória do fascismo, a mais terrível das mentiras que a burguesia usa para enganar o povo, levando-o a acreditar que a causa de sua pobreza e das humilhações de que é vítima não está na natureza do sistema capitalista. Uma forma de inversão da realidade.

Trump, durante toda sua campanha política, como todo enganador fascista, dizia a milhões de analfabetos políticos que empresas estadunidenses – que têm investido em outros países, como a China – terão de investir, obrigatoriamente, apenas nos Estados Unidos, para, por aí, resolver o problema de desemprego no país. Falava, sem ruborizar-se, como se um presidente tivesse condição de impor regras ao poder real, o poder do conjunto de capitalistas de todos os tipos. Descaradamente, ocultava o fato incontestável de que, no capitalismo, quem de fato manda é o capitalista. Mais uma forma insolente para ganhar votos de milhões de vítimas de um sistema de máxima concentração de riquezas, num lamentável quadro em que os Estados Unidos aparecem como o mais desigual, em termos sociais, dos chamados países de economia mais desenvolvida do mundo. Como grande capitalista, conseguia esconder de tanta gente que, na verdade, sua candidatura era a candidatura de seus próprios interesses e dos do conjunto de capitalistas. Como todo farsante fascista, fazia campanha com discurso apoliticista, para esconder seus verdadeiros propósitos de representante dos exploradores da maioria absoluta da população de seu país e do próprio mundo.

O enganador fascista é o mais perigoso e radical dos farsantes da burguesia, da era do capital privado monopolista. É capaz de qualquer ardil, ilimitadamente, para atingir seu objetivo e o dos interesses que representa. Hitler, inimigo monstruoso de comunistas e socialistas, chegou ao ponto de chamar seu partido de socialista, para enganar milhões de almas obscurecidas, levando-as a defender o sistema que as escravizava.

A vitória de Trump nos Estados Unidos deixou fascistas de todo o mundo em festa. Os fascistas que participaram do golpe de 17 de Abril passado, no Brasil, estão em êxtase.

A esperança é que as forças de esquerda e democráticas se unam para derrotá-los.

Marcelo Fonseca

NOVA DITADURA ATACA O POVO

12/11/2016

Polícia dos golpistas, da nova ditadura, ataca o povo. A Escola Florestan Fernandes, do MST, sofreu no último dia 4 uma invasão criminosa de tal polícia, aterrorizando funcionários desta entidade popular com tiros de balas letais, ameaçando vidas, inclusive, de crianças.

Estudantes em luta contra a política do governo golpista de cortar gastos da Educação também têm sido agredidos pela polícia da nova ditadura. Outro alvo dos golpistas são o movimento sindical e outros movimentos sociais, além do MST.

Quem não conseguia entender os objetivos do Golpe já começa a ver o que não via.

A verdade é concreta!

Felizmente, cresce a luta contra a nova ditadura.

Antônio de Freitas

TRUCULÊNCIA POLICIAL

12/11/2016

Polícia de São Paulo chega à Escola Florestan Fernandes, dando tiro com balas letais, causando terror, inclusive contra crianças existentes no local. Uma atitude em que a polícia dos novos golpistas imita a prática dos golpistas de 64. É a nova ditadura imitando a velha ditadura.

A polícia fica na frente da Escola, esperando um tal Mandado Judicial para invadi-la, consumando seu ato de estado de exceção, de terrorismo de estado.

Dois funcionários da Escola foram presos.

O MST publicou matéria denunciando o triste fato.

O momento é de total solidariedade ao MST. Mobilizar pessoas para a resistência a tal crime, cometido contra uma organização que luta democraticamente por seus direitos.

Roberto Silva