EXÉRCITO BOLIVIANO SE DECLARA SOCIALISTA E ANTIIMPERIALISTA

O Exército Boliviano afirmou oficialmente, em 14 de novembro do ano em curso, que é uma instituição “socialista” e “antiimperialista”, durante celebração do Bicentenário de sua criação – com a presença do presidente Evo Morales.

O comandante do Exército, Antonio Cueto, deixou claro, em ato realizado no Colégio Militar, em La Paz, que as Forças Armadas atuarão com dignidade e soberania. “Nossa contribuição institucional foi fundamental para a construção da Bolívia, especialmente nos momentos de inflexão tanto interna como externa; por isso, nosso Exército ostenta com orgulho a insígnia de fundador da pátria”, disse o comandante – segundo informação da Agência ABI.

Cueto declarou ainda que os soldados estão “comprometidos com o atual processo”, que Morales lidera, que tem como eixo central a nova Constituição, “conscientes que são de sua realidade”.

Em virtude da nova Carta Magna – ressaltou –, o Exército é atualmente uma “instituição socialista, comunitária e, como tal, nos declaramos antiimperialistas”.

“Na Bolívia não deve existir nenhum poder externo que se imponha ao país; queremos e devemos agir com soberania e viver com dignidade”, ressaltou o comandante, afirmando que também é anticapitalista, porque este sistema está destruindo a Mãe Terra, e pediu que se juntem todos os esforços e capacidades para defender o meio ambiente.

Por outra parte, Cueto disse que “a Bolívia é um Estado pacifista, que promove a cultura e o direito à paz”, porém, fez questão de dizer que o Exército preservará o direito legítimo à defesa do território nacional e dos recursos naturais.

“Na preservação da soberania não vamos permitir, sob nenhuma circunstância, a instalação de bases militares de potências estrangeiras em nosso território”, assegurou.

A ALIANÇA REVOLUCIONÁRIA ANTIIMPERIALISTA APÓIA AS DECLARAÇÕES DO COMANDANTE DO EXÉRCITO, ANTONIO CUETO

O discurso do comandante do Exército Nacional, Antonio Cueto, durante a comemoração do Bicentenário de criação do Exército Boliviano, provocou diversas reações. Como era de se esperar, a direita reagiu com toda a sua artilharia verbal contra as declarações de Cueto.

O General Cueto fundamentou suas declarações no papel antiimperialista que teve o Exército Nacional desde1810, quando recorreu à luta armada para derrotar o colonialismo espanhol. Neste aspecto, seguiu o exemplo das rebeliões encabeçadas por Tupak Katari, Bartolina Sisa e outros líderes forjados na luta contra o colonialismo e pela independência nacional.

A Aliança Revolucionária Antiimperialista considera que a posição do General Cueto           responde a uma necessária atualização da orientação do Exército e, em geral, das Forças Armadas, num momento em que o país vive importantes mudanças políticas, sociais e econômicas. Deve-se ressaltar que as declarações do Comandante não são improvisadas e sem antecedentes históricos. Já na década de 50 do século XIX, o general Isidoro Belzu defendeu a necessidade de “implantar o comunismo da justiça”. São os pró-imperialistas e usurpadores de terras de ontem e os de hoje os que buscam empanar as páginas históricas progressistas do Exército Boliviano. Também, querem levar ao esquecimento o que foi o governo do general David Toro, que liderou o movimento conhecido como “socialismo militar” e que nacionalizou o petróleo, em 1937, que estava nas mãos da Standard Oil Co., transnacional norte-americana. Pretendem ignorar que foi outro presidente militar, Alfredo Ovando Candía, que, em conjunto com o fundador do Partido Socialista-1, Marcelo Quiroga Santa Cruz, nacionalizou a Gulf Oil Co.

É certo também que as Forças Armadas tiveram membros de posição reacionária, antioperária, genocidas e racistas; que instauraram ditaduras opressoras e entreguistas. Foi contra essas posições, resgatando as tradições progressistas e sua projeção para o futuro, com a superação do capitalismo, que se comemorou o Bicentenário da criação do Exército Nacional.

Por tudo isso, a Aliança Revolucionária Antiimperialista expressa sua satisfação em dar respaldo às afirmações do general Antonio Cueto, em concordância com a orientação do governo de Evo Morales, amparado na Constituição Política do Estado.

Comitê Bolivariano de São Paulo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: